the same fear as always ♥

« eu continuo com o mesmo medo de sempre, medo de não te sentir tão presente como sinto agora. eu ainda me lembro de tudo mesmo nunca o tendo contado a ninguém. nunca contei a ninguém com um receio estúpido de que partilhar o que aconteceu pudesse parti-lo aos bocadinhos, que me fizesse esquecer do que foi e do que é, que me fizesse esquecer de tudo e de todos os pormenores. eu nunca guardei um segredo como este e ainda me lembro do nosso primeiro sítio e de todos os pormenores que fazem e sempre fizeram parte de nós, pormenores esses que só eu sei, que só eu conheço, porque nós somos o segredo mais secreto que faz parte da minha vida. começou nos meus lábios e morreu aí, nunca o contei, nem nunca o irei contar. eu guardo-o com um apreço de tamanha sinceridade que nunca ninguém há-de o perceber. e eu vou-me lembrar eternamente de todos estes pormenores, de todas as mensagens ainda secretamente guardadas e nunca vistas por outros olhos que os teus e os meus, e vou viver sempre com este segredo, vou-me lembrar sempre de ti, porque tu foste a melhor experiência que eu tive, tu foste quem me ensinou o que eu pensava já ter aprendido, foste quem me fez acreditar em algo em que pensava já não acreditar, que os beijos de hollywood aconteciam em qualquer lado e que os desgostos de lá, aqueles em que se passam dias agarrada a uma almofada a chorar, também estão a uma distância mínima de nós. e hoje lembrei-me de toda a distância que nos consumiu durante todos estes anos, lembrei-me de ti com a mesma força e com as mesmas lágrimas a escorrer na minha cara, porque custa-me ver-nos e sentir-nos assim. porque tu foste e és tudo, porque tu foste o meu passado e és o meu presente, porque é o teu nome que lhes conta a vida, porque é o teu nome que o meu futuro terá sempre, amanhã, depois e depois. porque mesmo não sabendo demonstrá-lo da melhor maneira, eu gosto de ti com o todo de mim. »

Sem comentários:

Enviar um comentário