strong enough ♥

« sim, eu ainda penso em ti, e ainda tenho saudades tuas, mas a saudade é algo que vamos sentir sempre, não é ? porque quando duas pessoas foram tão próximas como nós, e viveram um amor assim de uma maneira tão forte, a que tão raramente podemos chamar de amor, há marcas que ficam eternamente em nós, sendo por isso, inútil e até ingénuo da nossa parte tentar apagá-las . mas quando é que isto vai acabar ? quando é que vais parar um pouco para me dizeres o que é que afinal ainda queres de mim ? quando é que vais deixar de voltar atrás e virar a minha vida do avesso ? quando é que vais deixar de ter tanto poder sobre mim ? quando é que vais sentir a minha falta e perceber que eu estou aqui ? quando é que vens para ficar ? quando é que te vais deixar destas perdas de tempo ? quando é que te vais decidir se ficas ou se vais ? quando é que vais deixar este resto de lixo que tenho no lugar do coração em paz ? quando é que lhe dás um pouco de espaço e de tempo ? quando é que cuidas dele ? quando é que o destróis de vez ? quando é que percebes que andas a fugir daquilo que todo o mundo sabe que é o nosso destino ? quando é que páras de magoar o mundo todo que te rodeia ? quando ? óó meu amor, pára. por favor. por mim, por ti, por nós. pára de te destruir dessa maneira, pára de ser aquilo que sabes que não és, pára com esse jogo. larga essa máscara que puseste para te esconder de ti e do mundo. bate com a cabeça se for preciso, mas pára. reage, luta, investe, recua, avança, perde, vence, decide o jogo. porque neste momento o dado está do teu lado.  tu decides. tu jogas. e a mim ? a mim resta-me agarrar ou largar (...) »

i promise u ♥

« passas a vida a magoar-me com as tuas atitudes, recusaste a afastares-te quando preciso apenas de esquecer que existes, sussurras-me ao ouvido palavras de coração cheio que eu afasto e me recuso a aceitar, não quero mais que prometas o que não consegues transportar contigo, não quero mais este sentimento que me consome, não quero mais sentir tudo aquilo que dizes, que fazes e que inventas. não quero mais sentir tudo aquilo que digo e que finges que ouves e que acreditas. confundes-me, levas-me, empurras-me, agarraste a mim e fazes de mim o teu momento. tenho medo. do que sinto. eu só quero que tudo isto passe, que o vento leve tudo de uma vez só para que eu não tenha de guardar mais estas saudades em mim, estas saudades que não consigo evitar. quero que o vento leve tudo para não pensar em ti no escuro da minha noite e no calor do meu dia. páras á minha frente, eu sinto-te mas não te olho. porque sei que o coração vai ser mais forte e que vou chorar pelo que temos e pelo que já não temos. tenho medo de te querer guardar assim tanto. eu não te posso beijar, eu não consigo estar tão próxima de ti, eu não quero sentir, eu não quero dizer que gosto de ti, nem quero tanta coisa a afastar-nos. um dia pedi-te para que me dissesses que não te ias esquecer de mim, tu respondeste-me que nunca o irias conseguir fazer. prometeste-me que ias ficar comigo. e nós já vivemos tanto. por isso, agora só te peço para que guardes esse e todos os nossos momentos, que os guardes no pulso e que me guardes no coração, porque nunca mais se voltarão a repetir. a tua voz, os meus risos, os nossos segredos, os nossos abraços, a nossa magia, a nossa história. guarda tudo, porque conseguiste destruir tudo o resto que fazia parte de nós. porque eu não quero nem vou mais sentir tudo isto, não vou. »

box of memories ♥

« hoje, sem querer, tropecei numa caixa que há muito se encontrava escondida pelo pó. não me recordava daquela caixa, não me lembrava dela. sentei-me ali mesmo no chão frio, enquanto a curiosidade me possuía. mas bastou abrir a tampa. foi o suficiente para fazer o meu coração parar. o teu cheiro espalhou-se. era a nossa caixa. a caixa que continha todos os nossos momentos, a caixa que tinha os teus presentes oferecidos a mim com todo o teu amor. com todo o amor que sentiras por mim quando eras apenas meu e assim éramos felizes. uma parte de mim quis fechar imediatamente a caixa, pois tu também eras já uma história coberta pelo pó. mas o meu coração queria recordar, queria voltar a sentir. Então, espalhei tudo por aquele chão. pegava em fotografias enquanto sorria ao recordar as piadas que contavas, os disparates que fazias, a barriga que tanto me doía porque não conseguia parar de rir. li e reli todas as eternas mensagens que me escreveste, saboreei todas aquelas palavras, todo aquele amor escrito. a pulseira que me ofereceste estava distante, como se não fizesse parte deste amor. peguei nela, pu-la no pulso e senti a frieza da madeira arrepiar a minha pele quente. apenas esse arrepio, nenhum outro sentimento. tirei-a apressadamente do pulso, arrumei tudo sem me preocupar em organizar, fechei a tampa com força e escondi a caixa no canto mais escuro do meu sótão. e é exactamente lá que ela vai ficar, ganhando pó e sujidade, até algum outro dia, eu der com ela. porque eu preciso de tudo, menos de sentir novamente isto por ti. »

goodbye !

« sabes , acho que ambos quisemos viver tudo de uma só vez . precipitamo-nos, iludimo-nos, deixamo-nos levar . e para quê ? para no fim, termos mais uma vez a prova de que não estamos destinados a ficar juntos ? porque sim não estamos . porque paixões de verão enterram-se na areia meu anjo e a nossa história começou no verão de há uns seis anos atrás . porque a nossa paixão sim , nasceu , cresceu e morreu em pleno verão . e hoje resta-me a mim , desejar-te a melhor sorte do mundo, porque afinal sempre foste uma boa parte de mim. beijinho D. , gosto muito de ti . juro que sim (...) »

:'c

« tenho contado os dias, horas, minutos e segundos para que tudo melhore, tenho me abrigado no refúgio mais pequeno do mundo, tenho feito de cada pedacinho que me dás, a maior obra de arte que possa existir. gosto de ti. gosto mesmo. mas nós somos e vivemos como amantes, hoje escondemo-nos dos outros e amanhã arrependemo-nos de não termos lutado por algo que é nosso. sabes, às vezes penso que me estás enganar durante este tempo todo. e estou cansada. dos teus medos, da tua vergonha, da tua maneira de ser, dos teus olhares, das tuas palavras, das tuas mensagens, da tua vontade de lutar por isto, de tudo. o som da tua voz, arrepia-me, mas o teu silêncio é uma ferida que se abre no meu coração, e neste momento, devias olhar para ele o mais perto possível. e sabes o que irias ver? sangue. ou melhor, cicatrizes cobertas por novas feridas. tu estás a magoar-me. e depois? depois a culpa é minha, depois eu é que sou a impaciente e a precipitada. mas tu esqueces-te que sou eu que aguento com tudo. um dia a minha paciência esgota-se. e sabes que mais ? nesse dia, garanto-te que será tarde demais para segundas oportunidades.»

heart wind ♥

« gostei de ti , idolatrei-te , ilogiei-te , desejei-te , quis-te , vivi emoções , senti com intensidade , encontrei um presente , acreditei , aproveitei o momento , cuidei-te , desiludi-me , deixei-me levar , dei-te valor , alimentei sentimentos , defendi-te , iludi-me , transmiti-te um sentimento inigualável , dei-te atenção , procurei soluções , dei-te interesse , respirei-te , solucionei obstáculos e problemas , fascinei-me , ignorei-te , sofri em silêncio , valorizei-te , chorei , perdi um futuro , desesperei , pensei em ti , olhei vezes sem conta para o nosso passado , esperei por ti , senti-te , amei-te ontem , amo-te hoje e amar-te-ei sempre . vivo-te * »

( como é que as coisas mudam tanto ? )

D ♥

« não sei se consigo continuar. simplesmente, eu já não sei. desculpa . mas eu estou farta deste vaivém psicológico. estou farta de, num momento, estar a sorrir, e de, no outro a seguir, estar a desfazer-me em lágrimas. estou farta de incertezas, basicamente, estou farta desta vida de merda, pois não há, outra maneira, de o dizer. eu esforço-me, mas as minhas forças já não aguentam. as desculpas não se pedem, evitam-se. e eu, já nem sequer, quero contar, o número de vezes, que ouvi essa palavra nos últimos tempos. eu quero iniciar uma conversa, tento fazê-lo, mas, às vezes não o faço, por medo. não ter medo? nunca me peçam isso, porque não sou capaz, e sei bem disso. é fudido ver todos os nossos esforços, irem por água abaixo, em menos de nada, agora sei. »

two months ♥

« dois meses meu amor . ontem, hoje, amanhã e sempre . 5 * »

not always ♥

« nem sempre me dás a certeza que queres ficar ao meu lado. não consegues rasgar esta nostalgia e este sufoco que nos destrói. não consegues decidir o que queres, não sabes se ficas ou se vais, se lutas ou se foges. assim, nunca vamos funcionar juntos, por mais que o meu coração bata por ti. não me dás força para superar o passado, apareces e desapareces num abrir e fechar de olhos, apanhas-me pela surpresa, negativa e positivamente. fazes disto um jogo. ou é sim ou não, em vez de sim ou sopas. é assim tão dificil ? opá está tudo nas tuas mãos. tu decides. a mim, cabe-me , agarrar ou largar (...) »