i miss you ♥

« já não sinto paz em mim, já não sinto aquele bater forte do meu coração, já não sinto o frio nem vejo o sol a entrar pela janela, já não sinto as tuas mãos a agarrar as minhas, já não me sinto nem sequer em mim (…) eu estou a dar TUDO por ti a cada dia que passa, estou a desaparecer, a apagar-me aos poucos e ninguém dá por isso . hoje, a dor venceu-me sem eu dar por ela, foi-me matando por dentro e eu estou a começar a dar sinais de derrota. porque quanto mais chamo por ti, mais surdo estás e o que sinto por ti é o sentimento mais complexo que alguma vez senti, não sei o porquê dele existir, não sei como ele surgiu e nem sei desde quando o sinto. talvez este sentimento tenha estado sempre dentro de mim e eu nunca tenha dado por ele, talvez ele tenha surgido no dia em que olhei para ti no momento errado, no momento em que estavas com esse teu sorriso (perfeito) esboçado no rosto, porque foi isso que me cativou .. foi a tua voz que ainda hoje faz eco na minha mente e o teu olhar que me prendeu os sentidos num único, simples e arrebatador segundo. e eu percorri uma estrada tão longa para chegar a este ponto. superei, protegi, agarrei, abracei, defendi. e para quê ? para chegar ao ponto de ficar sem ar sempre que existe uma hipótese de me cruzar contigo, ao ponto do meu coração ficar descontrolado por apenas sentir a tua presença mesmo quando nem sequer estás . sabes, naquele derradeiro sábado à noite derrubaste tudo de mim. e hoje, chego a sentir que este não é o meu lugar. hoje fechei-me em mim e dava tudo para que ninguém me encontrasse, para que ninguém me visse neste estado, neste desespero, nesta mágoa, inteiramente entregue a ti . queria perder-me por aí, nesse teu mundo onde um dia podia esquecer tudo, onde um dia poderia esquecer(-te) e (sobre)viver a esta tua ausência que destrói um bom bocado de mim, a cada segundo que passa. porque agora sei que não sou tão forte como pensava e que talvez nunca te tenha merecido. porque agora não consigo mais ver-te sumir no tempo e ficar calada, imóvel. porque agora não consigo mais sentir-me incapaz de fazer algo que mude toda esta nossa história. mas, eu não estou pronta para dizer que desisto, para ouvir que não vales a pena, o sentimento e o esforço, porque eu sei que sim que vales por tudo e por todos (independentemente de como tudo está agora), porque eu sei que vales mais do que mostras com essa tua máscara que puseste para enganar o mundo e os outros, porque eu não sou capaz de levar com mais um mundo em cima (...) já me chegam as lágrimas que a noite me provoca e as memórias me criaram, já me chega o vazio que todos os dias toma conta de mim, e inevitavelmente de nós . e eu sei que com o tempo tudo irá passar, mas sei igualmente que nem o vento há-de ser capaz de levar o teu nome e a tua marca do meu coração. porque és demasiado valioso em mim. és mais, muito mais do que pensas e eu não consigo mais ver-te desaparecer, um bocadinho mais, a cada dia que passa, de dentro de mim. porque os meus olhos não mentem quando a minha boca o faz » :'c

it's over ♥

« eu só quero que tu sejas feliz. não sei se sabes, talvez não tenhas tido tempo para perceber que para mim sempre foi e será isso o mais importante, mesmo que a vida te tenha levado para outros caminhos e que nem sequer voltes a cruzar-te comigo. nós não tivemos tempo para nada. e por mais que te ame e te queira proteger com os meus braços de suposta mulher da tua vida, eu sei que é inútil e que só tu podes crescer e descobrir o que é mesmo importante para ti. não adianta falar, não adianta explicar-te o que ainda não esqueci e que ainda não conheces, porque o que eu quero mesmo é que sejas feliz. e o nosso amor, aquele que o tempo, a vida, o medo, ou a falta de sorte não deixaram construir, está guardado para sempre em mim. talvez um dia sirva para alguma coisa, para fazer feliz alguém, como já te fez a ti e a mim, num tempo fora de todos os tempos em que eras tu que estavas comigo e não este eterno vazio no peito. e sim, eu vou morrer de saudades tuas , das promessas inquebráveis, da esperança incansável, da felicidade interminável. porque eu continuo a amar-te da mesma maneira de sempre, porque eu continuo a precisar de ti como sempre precisei. e sim, eu admito. eu irei sempre precisar das tuas palavras, da tua força, do teu sorriso de puto reguila, da tua simplicidade, do teu jeito, da tua maneira, do teu amor e de nós. mas acabou. e eu tenho que me mentalizar disso. tenho que seguir em frente, tenho que levantar a cabeça e mostrar-te aquele sorriso que um dia te tocou o peito e te fez lutar por mim. tenho que ser forte por mim, por ti, e inevitavelmente por nós. porque apesar de tudo, tu serás sempre o melhor de mim . (...) »

- continuo a amar-te com tudo de mim, nunca duvides disso :'c
- beijinho dos nossos na testa e no nariz :'$

you, always ♥

« encontrávamo-nos ali, naquele meu eterno refúgio. naquele meu eterno pedaço de mundo. nós dois, as estrelas, o rio, o céu, o vento e a noite. despidos de marcas do passado, de mentiras de cobardes, de máscaras, de invejas do mundo, de tudo. éramos só eu e tu. entregues á noite, entregues àquilo que cada vez nos une e fascina mais, todos os dias. ao nosso amor, e á força que lhe pertence (…). éramos nós, sem fraquezas, falhas ou imperfeições. e foi nesse preciso instante de tempo, em que o brilho do mundo cintilava em nós, que olhei bem fundo nesses teus olhos verdes como água, inteiramente colados em mim, e vi o reflexo do que somos, do que temos, do que vivemos, e do que sentimos. e o meu mundo parou aí, nesse olhar, nesse sorriso. porque nada mais importava naquele momento a não ser aquela absoluta certeza, que me assaltou o peito e a alma e me mostrou  que és sem qualquer tipo de falha, tudo o que sempre esperei para mim. tudo o que sempre quis de nós (…). tu sorriste-me como se tivesses sentido comigo a natureza daquela brisa e me dissesses que ela estava certa. que éramos feitos da mesma matéria e do mesmo sentimento. e que sim, que estávamos destinados um ao outro e que iríamos amar como nunca aquela noite de certezas, aquela noite de juras mudas e olhares cúmplices. onde só a Lua presenciara e soubera do nosso segredo. porque apenas ela tem a capacidade de interpretar tudo o que nos pertence, porque apenas ela é capaz de brilhar tal e qual como tu brilhas inteiramente em mim. e a nossa essência está aí. está em ti, em mim, em nós, neste nosso eterno amor. e por isso, hoje sou capaz de afirmar e gritar ao mundo que te amo com o coração inteiro. que te amo como a Lua ama o céu, que te amo com alma e corpo inteiro. que te amo com tudo o que foi, é e será meu. porque tu és em mim muito mais do que alguém conseguirá algum dia imaginar possível. és o sorriso mais genuíno, a lágrima mais sofrida, o abraço mais apertado, a mão mais segura, o momento mais bonito, o segredo mais simbólico, a palavra mais sincera, o amor mais puro, és o homem da minha vida e isso será eternamente impossível de mudar em mim. venha quem vier, haja o que houver, aconteça o que acontecer. e eu amo-te. amo-te com a minha própria vida e irei amar sempre, todos os dias desta nossa eterna vida a dois (…) »


- da tua eterna, MartaTeixeira ♥

without you ♥

« aqui sentada, penso em nós e tenho medo. tenho muito medo. de perder esse sorriso, de perder esse amor que me preenche o corpo e a alma. tenho medo que tudo mude e que vás de vez. se calhar tudo isto não passa de um descargo da minha alma, de um cansaço de tudo o que vivemos e que eu não aproveitei a cem por cento. e hoje, penso em todas as brigas parvas, em todas as histórias mal resolvidas, e é tudo tão estúpido, sabes ? passei parte da minha vida a lutar pelo que queria e sentia , mas agora sinto-me tão incapaz (...) . dizem que tudo tem uma razão de ser e que nada é por acaso, mas hoje descobri que não. que não quero, nem vou, acreditar mais nisso. hoje, por sentir a tua falta refugiei-me aqui . mas faltou-me a coragem e toda a força que que sempre pensei ter, faltou-me a tua mão a segurar a minha e vim-me abaixo. por isso, hoje, só te peço que nunca duvides do que eu sinto e que nunca desistas de nós. que me desculpes por ter fracassado, por mais uma vez ter sido insegura, e por não ser a melhor namorada do mundo. sabes, por pequenos minutos ao sentar-me aqui, sorri por tudo o que vivemos e que não vivemos, por todas as gargalhadas dadas juntos, por todos os abraços, por todas as promessas feitas em céu aberto, por todas as barreiras que enfrentamos e derrubamos juntos, por tudo o que foi dito, prometido, vivido, sentido e escrito aqui (...) . talvez seja só impressão minha, talvez seja só a insegurança a falar mais alto, mas sinto-te distante, sinto-te cada vez mais desligado de mim, e se tu soubesses o quanto tento não pensar nisto, se tu soubesses o tamanho daquilo que trago em mim desde aquele primeiro sorriso, talvez conseguisses ter uma pequena noção de tudo o que sinto e do quanto está a ser difícil estar aqui sentada, neste nosso eterno refúgio, a escrever para ti . porque estas paredes estão cobertas de nós . dos nossos momentos, das palavras, dos abraços, dos beijos roubados, dos olhares mudos, de ti , de mim, de nós juntos, num só corpo, numa só alma, num só coração (...) . desculpa, mas não consigo dizer-te mais nada a não ser que tenho saudades de ti e de nós e que te amo com a minha própria vida ! »

- escrito a 01-03-2011