4# Carta para quem mais te desiludiu !

FP !

« não consigo aceitar esta mudança de personalidade e não consigo deixar de gostar de ti. porque apesar de tudo, o meu amor por ti será sempre maior do que toda esta mágoa, do que toda esta desilusão, e é isso que me põe desta maneira. é saber que depois de tudo o que se passou, eu continuo a dar tudo por ti. mas a cada dia que passa, tomo consciência de que por mais que eu tente, de que por mais voltas que a vida dê, que muito provavelmente já nada voltará a ser como era. porque há coisas que não se esquecem. e tu sabias que eu esperava aquilo de toda a gente menos de ti. eu confiei-te tudo. o meu sorriso, o meu olhar, a minha alma, as minhas lágrimas, os meus medos, as minhas mãos, os meus segredos, o meu coração, a minha vida. e para quê? para à primeira oportunidade fazeres e dizeres o que fizeste e disseste? para me fazeres sentir que nada tinha sido verdadeiro ? para quebrares tudo o que ainda existia em mim? para me deitares ao chão quando sempre foste tu que me levantaste? ó f., o mais ridículo disto tudo é que, saber que neste momento não estás bem me está a deixar com o coração do tamanho de uma ervilha, com vontade de esquecer tudo e correr para te dar o maior abraço do mundo. mas eu não consigo. não consigo mesmo, desculpa. por isso, quando o teu coração, ou tu, precisar de mim, aparece no sitio do costume e explica-me a razão de te teres tornado nesse pedaço de mundo que eu já não conheço e no porquê de teres tomado e feito as escolhas que fizeste. ou então, não digas nada. abraças-me, despedes-te e vais-te embora. mas por agora, cuida de ti, sim? por mim e por ti. beijinho e adeus pequena. adeus e .. até um dia, quem sabe (...) »

two ♥


« eu sei que um dia voltarás a caminhar do meu lado pelas mesmas ruas de sempre, onde cada casa conta uma história e a luz dos candeeiros de rua antigos protege os amantes e os seus sonhos e planos ainda e sempre por realizar . e aí vamos resgatar todos os beijos adiados, todos os abraços, todos os momentos que desejámos repetir, como se nunca tivéssemos deixado de o fazer . e aí vamos voltar a sentir-nos juntos, como se eu nunca tivesse saído daí . desse lugar onde, em nós, tudo faz sentido . porque o amor vivido na espera, ensina-nos a ver o coração com os olhos de quem sente e não de quem pensa . ensina-nos a ver o futuro, a desejá-lo, a desenhá-lo, e a organizar tudo para que ele seja possível . para que nada mude . para que tu se mantenha intacto, forte e indomável . ensina-nos a ter a certeza do que queremos, do que temos e do que sentimos . e eu amo-te, amo-te e amo-te . muito mesmo . por tudo e com tudo . sempre . e isso já não muda, haja o que houver, venha quem vier (...) »